Tag Archives: Aula Magna

Concerto da semana: Aloe Blacc

28 Apr

Aloe Blacc estreia-se nos palcos portugueses na próxima quarta-feira, dia 4 de maio, na Aula Magna, com um concerto de apresentação do seu último álbum, Good Things.

I Need a Dollar, que já anda nos ouvidos do portugueses há alguns meses, foi o primeiro single deste álbum e o hit que catapultou o músico norte-americano para o sucesso. Mas Aloe Blacc já não é novo no mundo da música. Nasceu na Califórnia em 1979 e, juntamente com o rapper, dj e produtor Exile, formou o duo de hip-hop Emanon em 1995. Em 2003 iniciou a sua carreira a solo e em 2006 lançou Shine Through.

O primeiro álbum passou despercebido, mas é então que, quatro anos depois, Good Things chega às lojas e  Aloe conquista a Europa “a pedir um dólar”. Rapidamente chegou ao top 10 em cinco países europeus e o top 40 em três outros, conquistando o disco de platina na Suíça e o disco de ouro na Alemanha. Loving You is Killing Me é o seu novo single e já passa nas rádios nacionais, dando continuidade ao sucesso de I Need a Dollar, que colocou Aloe Blacc entres os grandes nomes do soul mundial da atualidade.

«My purpose for music is positive social change» («o meu propósito com a música é provocar uma mudança social positiva»), afirma Aloe, acrescentando que «Mesmo que a música em si não expresse explicitamente algo que signifique mudança social positiva, o seu resultado fá-lo-á». Talvez seja este o segredo do seu sucesso. Num mundo que se divide em crises políticas, económicas e ambientais, música que apele ao positivismo e à mudança resulta como uma lufada de ar fresco para o público.

Tudo isto e muito mais se espera deste concerto que terá casa cheia (os bilhetes esgotaram esta semana), com a primeira parte a cargo da rapper australiana Maya Jupiter.

+++Este artigo foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.+++

O Indie está de volta

8 Apr

O festival internacional de cinema independente IndieLisboa – está de volta. O Teatro do Bairro Alto, a Culturgest, o Cinema São Jorge e, pela primeira vez, a Cinemateca, abrem as suas portas aos amantes da sétima arte, entre os dias 5 e 15 de maio.

Com o recém-inaugurado Teatro do Bairro Alto como principal sala, a organização do festival pretende aliciar novos espetadores e criar diferentes circuitos atrativos na cidade lisboeta, tentando despertar a faceta cinéfila do público, sendo essa a razão por que todos os anos o Indie altera o conjunto de salas onde apresenta os seus filmes.

Esta 8ª edição é, no entanto, marcada pela diminuição dos apoios, tanto públicos como privados. Com uma verba de menos 500 mil euros, passando assim de 1,6 milhões de euros em 2010 para 1,1 milhões, o festival viu-se obrigado a fazer ajustes na programação. As Lisbon Screenings – seleção de filmes portugueses independentes exibidos a compradores e programadores estrangeiros – foram anuladas, assim como as extensões internacionais que decorriam durante o ano (IndieLisboa Days). Com estes cortes a nível de orçamento e de bens e serviços, o cinema português acaba por ser o mais prejudicado, mas ainda assim, a organização aposta numa programação forte e diversificada. Em especial destaque estão os «filmes para pensar o mundo» que refletem sobre o estado atual da economia mundial, do terrorismo, emigração e xenofobia. Miguel Valverde, um dos diretores do festival, reconhece que o ponto de principal interesse desta edição é a «relação entre o que é real e o que é construído pois mesmo quando são ficção, muitos dos filmes são espelhos do presente».

OIndieLisboa irá mostrar 240 filmes, começando com Carlos, de Olivier Assays e Les Amours Imaginaires, de Xavier Dolan. Este ano o evento conta também com uma retrospetiva da obra de Júlio Bressane, cineasta brasileiro eleito como herói independente desta edição e com um espetáculo único dos Tindersticks – dia 11 de maio na Aula Magna – onde a banda tocará alguns dos temas que compôs para a banda sonora das películas de Claire Denis.

O regresso, embora com cortes, da programação habitual, de várias secções em curtas e longas metragens e da competição internacional são as mais valias do festival que na edição anterior contou com 44 mil espetadores.

Os bilhetes estarão à venda a partir de dia 18 e a programação completa pode ser consultada no site oficial.

+++Este artigo foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.+++