Archive | Estoril Open RSS feed for this section

O ano passado foi assim…

25 Apr

No dia 7 de maio de 2010 o ténis português fazia história com a vitória de Frederico Gil nos quartos de final. Pela primeira vez, um atleta nacional estava presente na meia-final do Estoril Open, a prova mais importante do panorama da modalidade em Portugal. Curiosamente, para estar presente numa fase tão adiantada da competição teve de eliminar o compatriota e amigo Rui Machado.

As palavras no final do embate com Rui Machado eram o espelho da felicidade do atleta e da importância do momento: “Estou bastante contente por ter ganho, é um sonho para mim poder chegar às meias-finais do Estoril Open. Sinto-me cansado, foi uma batalha dura, mas já estava à espera que fosse assim. Cada um de nós jogou ao seu melhor. Taticamente estive bem, o Rui jogou de forma muito sólida e o encontro acabou por se tornar muito físico“. Igualmente, assumia o desejo de continuar a fazer história e qualificar-se para a final.

E assim foi, após bater o espanhol Guillermo Garcia-Lopez, Frederico Gil alcançou o sonho de estar presente no jogo decisivo. Na final, num duro e emotivo encontro de duas horas e trinta e três minutos com o também espanhol Alberto Montanes, Gil claudicou no terceiro set, depois de vencido o primeiro. Ao contrário do que se previa, Frederico Gil foi um adversário duro de roer para Montanes, que viria a sagrar-se bicampeão do torneio português.

Este ano, haverá “dose dupla” e teremos novamente uma grande prestação portuguesa?

A avaliar pelos nomes presentes na prova, antevê-se dificuldades para Rui Machado e para Frederico Gil repetir a proeza do ano passado. Federer e o bicampeão Montanes não estarão presentes, mas em contrapartida estarão seis atletas de relevo no Jamor. São eles Robin Soderling, Del Potro, Fernando Verdasco, Jo-Wilfried Tsonga, Thomas Bellucci e Gilles Simon. No entanto, Frederico Gil tem tido um ano bem sucedido, que culminou com a presença na terceira ronda no Masters de Monte Carlo, melhor resultado de sempre por parte de um português, que deixa esperanças numa boa prestação no Estoril Open, bem como de Rui Machado que é sempre um atleta bastante competitivo.

Porém, nem só de esperança se faz esta participação portuguesa na prova deste ano. Na competição feminina, a má notícia chegou ainda antes da prova se iniciar. Michelle Brito, número um portuguesa, não vai participar na edição deste ano, já que vai participar no torneio de Charlottesville, nos EUA, segundo a própria porque “jogar em Charlottesville é mais económico”.

Mesmo com a “menina de ouro” do ténis feminino de fora, após a brilhante prestação portuguesa na edição passada, existe motivos para sonhar. Com os nomes presentes na competição, provavelmente o torneio não terá vencedor português. No entanto, o ano passado ninguém previa a caminhada de Frederico Gil. Porque não ter esperanças em conquistar o torneio pela primeira vez?

+++Este artigo foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico+++