Velhas tradições não se perdem

21 Feb
por Jorge Sousa |

Velhas tradições não se perdem. Mesmo quando um está em baixo, Benfica e Sporting assumem entre si a rivalidade mais relevante do futebol nacional. Os jogos entre ambos fazem parar Portugal, sendo este o encontro que costuma prender mais espectadores ao ecrã. Desde os tempos da monarquia que a bola roda, tendo o encarnado e o verde primeiro colidido no dia 1 de Dezembro de 1907. Desde então, os adeptos já foram presenteados com 402 encontros, partindo o Benfica em vantagem neste duelo centenário com 169 vitórias, contra 153 leoninas (de resto, houve 80 empates).

Mas este jogo não assume esta época a importância de outrora. Desde 1982, época em que os Leões foram campeões e as Águias segundos classificados, que o encontro não coloca frente a frente os dois clubes na luta pelo título nacional. Seja o Benfica a fazer um campeonato abaixo das expectativas, seja o Sporting, a verdade é que esta realidade dos últimos 29 anos (em grande parte, devido ao excelente crescimento do Futebol Clube do Porto) contraria os tempos dos cinco violinos e de Eusébio. Com raras excepções, o campeonato nacional era sempre disputado entre os dois rivais da segunda circular, com estádios cheios e ambientes únicos.

Esta segunda-feira, não estarão em campo Travassos, Manuel Fernandes, Chalana ou Torres. Os intervenientes são outros, os tempos também. O Sporting, há muito arredado da luta pelo título, apenas jogará a honra neste encontro, tentando alcançar uma vitória que lhe foge já desde 2009. Já o Benfica, que a dez jornadas do fim do campeonato se encontra a uma distância considerável do primeiro classificado, poderá aqui jogar uma cartada importante nas suas pretensões para esta época. Uma eventual derrota, ou mesmo um empate, poderá ditar o adeus definitivo ao sonho de revalidar o título nacional, algo que não acontece desde a época de 1983/1984.

Em Alvalade, o Sporting não contará com o seu treinador no banco, nem tão pouco com Evaldo, jogador que tem assumido a titularidade no lado esquerdo da defesa leonina. Mesmo o seu suplente, Leandro Grimi, encontra-se em dúvida para este encontro, o primeiro pós-Liedson. Problemas no sector defensivo e debilidades no sector ofensivo serão, sem dúvida, uma dor de cabeça para os adeptos do clube, que não contará igualmente com Jaime Valdés. Assim sendo, quem agradece é Jorge Jesus, que chega a este desafio na máxima força, no melhor período da equipa este ano, contando já com 16 vitórias consecutivas em competições nacionais.

Com Saviola, Cardozo, Coentrão e Salvio em bom plano, Benfica parece partir em vantagem. No entanto, jogando perante os seus adeptos, a equipa liderada por Paulo Sérgio quererá impor o seu futebol, à semelhança do que fez contra o FC Porto. O jogo, que contará com Artur Soares Dias como árbitro, não terá a importância nem a emotividade de outros tempos, no entanto, não haverá um único adepto que não esteja ansioso por bater o seu grande rival neste derby sempre tão badalado e que tantos momentos já proporcionou ao desporto português.

+++Este artigo foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.+++

Advertisements

2 Responses to “Velhas tradições não se perdem”

  1. Ricardo Marques February 21, 2011 at 8:49 am #

    em 2004/2005, houve um derby claramente fundamental para a escolha do campeão nacional, que acabou com a vitória do Benfica de Trapattoni, fruto de um golo alegadamente polémico do Luisão. O Sporting, então treinado pelo José Peseiro, vinha a fazer uma grande época em 3 frentes, e foi neste jogo que perdeu a luta pelo primeiro lugar, sendo ultrapassado pelo rival que, pouco mais tarde, se sagraria campeão nacional, algo que já fugia há cerca de 8(?) anos.

  2. Jorge Sousa February 21, 2011 at 9:01 am #

    Claro. Eu é que não me fiz compreender. Falava de um campeonato onde campeão e vice-campeão tinham acabado por ser ambos os clubes. Nessa época, posteriormente a esse jogo polémico o Sporting haveria de perder um outro jogo de enorme polémica contra o Nacional da Madeira em Alvalade finalizando o campeonato na terceira posição.
    Até 1982 inclusivé, Benfica e Sporting tinham estado nos dois primeiros lugares do pódio por 20 vezes. Nunca mais se sucedeu, mas demonstra bem o que esta rivalidade representou entre as décadas de 40 e 80. Aproximadamente 50% dos títulos tiveram esta marca importante nesse período.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: